Favoritos Página Principal E-mail





ABERTURA - FESTA NA FAVELA, NO ASFALTO, EM TODO BRASIL

Num ano de mudanças na administração do clube, na comissão técnica e no elenco, com grandes contratações e promessa de uma retomada das conquistas no futebol, nada melhor do que começar essa trajetória vitoriosa reafirmando sua hegemonia no futebol do Rio de Janeiro. O 35º título carioca, além de isolar ainda mais o Flamengo como o maior campeão do Rio, também reafirma o clube como o mais forte do estado, dentro e fora de campo. Para a festa da galera rubro-negra na favela, no asfalto, em todo Brasil. Neste especial você poderá saber tudo sobre mais esta conquista do maior clube de futebol do Rio de Janeiro.

Com os três maiores rivais enfrentando grandes dificuldades financeiras, era bastante evidente o favoritismo do Flamengo no Campeonato Carioca 2019. Ainda mais após o clube rubro-negro investir pesado em contratações no início do ano, fortalecendo ainda mais o elenco que fora vice-campeão brasileiro no ano anterior. Cabia a Botafogo, Vasco e Fluminense tentar superar suas limitações para surpreender o maior rival e desbancar o seu favoritismo. O Botafogo acabou fazendo péssima campanha, sequer chegando às semifinais em ambos os turnos. O Fluminense do inovador Fernando Diniz ainda deu trabalho, mas conseguiu no máximo chegar à semifinal do campeonato. Já o Vasco chegou ainda mais longe, conquistando a Taça Guanabara e disputando a decisão do campeonato. Mas não foi páreo para um Flamengo muito superior tecnicamente.

Jogando com a força máxima, o Flamengo teve alguma dificuldade para derrotar o Bangu na estreia. Conseguiu uma virada por 2 a 1, mesmo sem apresentar um grande futebol. Na rodada seguinte o técnico Abel Braga optou por escalar um time reserva contra o Resende, em Volta Redonda, e apenas ficou no empate de 1 a 1. Os destaques do jogo ficaram pelo golaço de bicicleta do centroavante Henrique Dourado, o mais bonito do campeonato. E pelas estreias dos reforços De Arrascaeta e Gabigol, duas das principais contratações do clube para a temporada 2019.

Na terceira rodada viria o primeiro clássico e mais uma estreia de um reforço fundamental na campanha. Contra o Botafogo no Engenhão, o Flamengo vinha fazendo uma partida muito fraca, e saiu atrás no placar no 1º tempo com um gol em que a bola foi desviada e enganou o goleiro Diego Alves. Mas no 2º tempo Abel promoveu a estreia de Bruno Henrique. E que estreia! O atacante entrou muito bem no jogo, marcando os dois gols da virada
rubro-negra por 2 a 1. E ainda teria dado assitência para o terceiro no final do jogo, mas o gol de Gabigol foi mal anulado pela arbitragem. Mas nada que apagasse a grande estreia do futuro artilheiro do campeonato.
 

Nas duas rodadas seguintes a missão era garantir a classificação para a semifinal da Taça Guanabara. E o Flamengo alcançou esse objetivo sem maiores dificuldades, vencendo o Boavista por 3 a 1 e a Cabofriense por 4 a 0, na melhor atuação do time até então no campeonato. Com destaque para o trio De Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol. Assim terminou na liderança do grupo C, à frente do surpreendente Resende. No grupo B, o Vasco garantiu o 1º lugar do grupo com 100% de aproveitamento, derrotando o Fluminense na última rodada. O Tricolor terminou em 2º e também chegou à semifinal, sendo o adversário do Flamengo.

  Mesmo tendo um time muito superior ao do rival, o Flamengo preferiu jogar de maneira mais cautelosa, muito em função de ter a vantagem do empate por ter feito melhor campanha. Assim o Fluminense dominou as ações na maior parte do jogo, mas sem levar perigo ao gol rubro-negro. Tudo se encaminhava para um empate sem gols que levaria o Flamengo para a final da Taça Guanabara, mas nos acréscimos do 2º tempo um erro de passe de Arrascaeta proporcionou ao Fluminense a chance de marcar o gol da vitória, com Luciano. Uma enorme frustração para os rubro-negros. Na outra semifinal, o Vasco venceu o Resende sem maiores dificuldades, por 3 a 0.

A decisão da Taça Guanabara ficou marcada pela confusão entre as diretorias de Fluminense e Vasco na escolha do lado das torcidas no Maracanã. Após uma batalha jurídica, foi vetada a entrada do público no estádio e a decisão começou com portões fechados. Após muita confusão nos arredores do Maracanã, no final do 1º tempo os portões foram abertos e a final enfim teve torcida nas arquibancadas, com maioria esmagadora de vascaínos. Eles puderam ver o gol de falta de Danilo Barcelos no 2º tempo, que decretou o 1 a 0 e o título do Vasco na Taça Guanabara, garantindo vaga na semifinal do campeonato.

Ainda precisando pontuar para garantir vaga na semifinal do campeonato, o Flamengo foi com força máxima nas duas primeiras rodadas da Taça Rio. Goleou o Americano por 4 a 1, quando enfim Gabigol conseguiu marcar seu primeiro gol com o manto sagrado. E na sequência bateu a Portuguesa por 3 a 1, com dois gols de Gabigol e um de Bruno Henrique. Com jogo da Libertadores próximo e já com a vaga encaminhada, o Flamengo escalou o time reserva para o clássico da 3ª rodada contra o Vasco. Arrascaeta abriu o placar no começo do 2º tempo. Após o Flamengo perder várias oportunidades claras de ampliar o placar, o árbitro marcou um pênalti no mínimo duvidoso à favor do Vasco, no último lance da partida. Maxi López bateu e empatou o jogo. Na rodada seguinte mais um tropeço jogando com o time reserva, desta vez um empate sem gols contra o Volta Redonda. Com o retorno do time titular, o Flamengo venceu o Madureira na quinta rodada por 2 a 0, com mais dois gols de Gabigol.

Mas seria necessário vencer o Fluminense na última rodada para garantir vaga na semifinal da Taça Rio. Já classificado, o Flu resolveu poupar todos os titulares. E pareceu que ia pagar caro por isso. Com enorme facilidade, o Flamengo abriu 3 a 0 no placar logo no começo do 2º tempo, mais uma vez com gols de Bruno Henrique (2) e Gabigol. Mas o time se acomodou, permitindo que os reservas do Flu marcassem dois gols e ainda pressionassem até o final do jogo pelo empate. Um 3 a 2 que classificou o Flamengo, mas irritou o torcedor pela segunda vez num Fla-Flu deste campeonato. O surpreendente Bangu terminou com o 1º lugar do grupo C com 15 pontos, 1 a frente do Flamengo. No outro grupo o Fluminense ficou com a 1ª posição, com o Vasco se classificando em 2º com uma campanha bastante irregular, beneficiado por uma derrota surpreendente do Volta Redonda para o já eliminado Boavista.

Mais uma vez Flamengo e Fluminense se enfrentaram numa semifinal de turno neste campeonato. Mas desta vez era o Flu que entrava com a vantagem do empate. O Flamengo saiu na frente ainda no 1º tempo com um golaço do lateral Renê. No 2º tempo o Fluminense empatou com um pênalti duvidoso marcado pelo VAR, muito bem cobrado por Yony González. Mas o Flamengo daria o troco na mesma moeda, eliminando o rival com um gol nos acréscimos. Pênalti de Léo Santos em Lucas Silva, cobrado com perfeição por Éverton Ribeiro. 2 a 1 e vaga na final. Na outra semifinal, o Vasco derrotou um bravo Bangu por 1 a 0, chegando a mais uma final de turno.  

  Priorizando a Libertadores, o Flamengo optou mais uma vez por escalar o time reserva contra o Vasco, desta vez na final da Taça Rio. Ainda assim os garotos do Flamengo, sob a liderança de Arrascaeta, fizeram uma decisão equilibrada contra o rival. O Vasco saiu na frente no começo do 2º tempo, com gol de cabeça de Tiago Reis. Mas nos acréscimos brilhou a estrela do craque De Arrascaeta, marcando um golaço de cabeça. 1 a 1 e o título decidido nos pênaltis. Rodinei desperdiçou o dele, mas César defendeu um e dois batedores do Vasco chutaram pra fora. Flamengo 3 a 1 nos pênaltis e campeão da Taça Rio. Tabu mantido até com reservas!

Mas o que interessava mesmo eram as semifinais do campeonato. O Flamengo enfrentou mais uma vez o Fluminense, com a vantagem do empate para chegar na final do Carioca. E desta vez o time de Abel Braga não se acomodou com a vantagem. Dominou as ações no 1º tempo, mas desperdiçou todas as chances de gol, principalmente com Uribe. Acabou punido no final com um gol do Flu, de Gilberto. No 2º tempo entrou Gabigol no lugar de Uribe. E o artilheiro foi responsável por marcar o gol de empate que garantiria a classificação para a grande final. Na outra semi o Vasco mais uma vez superou o Bangu, vencendo por 2 a 1.  

  Assim teríamos mais uma decisão entre Flamengo e Vasco. Em jogo a manutenção do tabu de 31 anos sem perder finais para o rival. Se até jogando com time reserva o tabu não caiu, não seria com os titulares que o Flamengo perderia uma decisão para o Vasco né? Logo no 1º jogo da decisão o Mais Querido impôs sua superioridade técnica, fazendo 2 a 0 sem maiores dificuldades, com dois gols do artilheiro dos clássicos Bruno Henrique. O atacante ainda teve um gol mal anulado pela arbitragem, com o VAR sendo utilizado para cometer o erro. Mas nada que manchasse a grande vitória que encaminhou o título.

No 2º jogo da final, um Maracanã com esmagadora maioria de torcedores rubro-negros viu o Flamengo abrir o placar logo aos 15 minutos de jogo, com gol de cabeça de Willian Arão. Deixando ainda mais difícil a situação do Vasco. O rival ainda tentou reagir, criou algumas chances de gol, mas não conseguiu vazar Diego Alves nesta decisão. Ainda deu tempo de Vitinho entrar no 2º tempo e marcar o gol que decretou mais uma vitória por 2 a 0 e o 35º título estadual da história do Mengão. No ano da aposentadoria, coube ao ídolo Juan levantar a taça, para delírio da nação rubro-negra em todo brasil. Um título para os garotos do Ninho que nos deixaram tragicamente!  

 

Voltar | Topo | Home
Site criado por Daniel Marques. Todos os direitos reservados ©.   
www.000webhost.com
endChild(s); })(); Site criado por Daniel Marques. Todos os direitos reservados ©.