Favoritos Página Principal E-mail







ABERTURA - O PRIMEIRO TÍTULO NA 'ERA ENGENHÃO'


Após passar por um ano terrível em 2010, em que vários problemas dentro e fora de campo acarretaram numa das piores temporadas da história rubro-negra, o Flamengo entrou em 2011 com a obrigação de conquistar títulos. E nada melhor do que começar uma nova trajetória vitoriosa mostrando mais uma vez quem é que manda no futebol carioca. A conquista do 32º título carioca representou não apenas o aumento da hegemonia do Mengão do Estadual do Rio, como também o seu quinto título invicto na história, igualando o recorde do Vasco. Além disso, fez do Flamengo o primeiro campeão num campeonato com todos os clássicos e decisões disputados no Engenhão. Neste especial você poderá saber tudo sobre mais esta conquista do maior clube de futebol do Rio de Janeiro.

Com a contratação de craques como Felipe, Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho, o Flamengo já dava mostras de que seria um dos grandes favoritos ao título, o que foi se confirmando logo nas primeiras rodadas. Atual campeão brasileiro e com a base do time mantida, o Fluminense mais uma vez era apontado como o principal rival rubro-negro à conquista do título. Mas repetiu o fracasso dos anos anteriores e sequer chegou a final dos turnos. Após cinco finais consecutivas e o título no ano anterior, o Botafogo sonhava com mais uma grande campanha, mas também ficou pelo caminho. Já o Vasco fez campanha vexatória na Taça Guanabara, mas reagiu bem na Taça Rio e disputou o título com o Mengão. Desta vez os pequenos aprontaram várias surpresas, principalmente com a presença do Boavista na final do primeiro turno e do Olaria na semifinal do segundo.

Mesmo sem ter grandes atuações, o Flamengo venceu todos os adversários na fase inicial da Taça Guanabara. Muitas vezes por um placar mínimo e marcando o gol da vitória já no final do jogo, o Rubro-Negro derrotou Volta Redonda, América, Americano, Vasco, Nova Iguaçu, Boavista e Resende, terminando com a melhor campanha entre todos os participantes no primeiro turno. Destaque principalmente para o triunfo sobre o Vasco, que eliminou o rival da Taça Rio, com um gol de placa de Thiago Neves, e para a estreia do super-craque Ronaldinho Gaúcho na vitória suada contra o Nova Iguaçu, com um gol de Wanderley quase no final do jogo.

  O adversário na semifinal seria o Botafogo, que nem de longe lembrava o time consistente que superou o Flamengo em 2010 e ficou com o título. Mas ainda assim o Alvinegro deu muito trabalho. Superior no primeiro tempo, o Mengão saiu na frente com um gol de cabeça de Ronaldo Angelim, após cobrança de escanteio. Mas o Botafogo voltou melhor para a segunda etapa e logo no começo chegou ao empate, com Loco Abreu. O jogo caminhou sem grandes emoções até o seu final, chegando à decisão por pênaltis. E aí foi a vez do goleiro Felipe mostrar que é o sucessor de Bruno, ao pegar dois pênaltis e assegurar a vitória rubro-negra por 3 a 1.

O Flamengo enfrentou na decisão da Taça Guanabara o surpreendente Boavista, que eliminara o favorito Fluminense nos pênaltis na outra semifinal. Como era de se esperar, o time de Saquarema montou uma forte retranca para tentar segurar as estrelas rubro-negras, e isso fez com que a final tivesse pouquíssimas oportunidades de gol. Com mais uma atuação pouco brilhante, o Mengão não conseguiu superar a defesa adversária no primeiro tempo, e consequentemente amargou o empate sem gols. A torcida no estádio esperava que em algum momento a genialidade de Ronaldinho fizesse a diferença. E foi isso que aconteceu.  

  No segundo tempo a partida seguiu com o mesmo panorama: o Boavista apenas se defendendo e o Flamengo buscando alguma alternativa para chegar ao gol da vitória. E aos 26 minutos a grande chance do jogo se apresentou. Falta na entrada da área, a chance de ouro de usar uma bola parada para enfim superar a barreira adversária. E Ronaldinho Gaúcho não decepcionou, cobrança perfeita que tirou o grito de gol que estava entalado na garganta da torcida rubro-negra. Nem após sofrer o gol o time de Saquarema conseguiu ser ofensivo, facilitando ao Mengão administrar a vitória até o final e chegar ao título da Taça Guanabara, o primeiro de R10 a Gávea.

Com a vaga numa eventual decisão de Campeonato Estadual garantida, restava ao Flamengo ao menos manter a sua invencibilidade no campeonato o maior número de jogos possível na Taça Rio. Motivado pelo título da Taça GB, o Mengão fez uma das suas melhores apresentações no campeonato na estreia do segundo turno, vencendo o bom time do Olaria por 3 a 2. Mas após a suada vitória contra o Bangu, com um gol nos acréscimos de Diego Maurício, o time rubro-negro caiu de rendimento. Três empates consecutivos, contra Fluminense, Cabofriense e Madureira, colocaram em risco a classificação para a fase final da Taça Rio.

As boas vitórias por 2 a 0 diante de Duque de Caxias e Botafogo acabaram por encerrar qualquer indício de crise, garantindo o Flamengo na semifinal com uma rodada de antecipação. A fraca atuação e o empate contra o Macaé na última rodada tiraram a chance do time do técnico Luxemburgo de terminar na liderança do Grupo A. Com destaque para o pênalti perdido por Ronaldinho no último lance do jogo. Mas nada que abalasse o Bonde do Mengão Sem Freio, apelido que acompanhou o time ao longo do campeonato. A invencibilidade perdurava, e o título direto estava a apenas dois jogos de distância.  

  Na Semifinal da Taça Rio o adversário seria um motivado Fluminense, que dias antes conseguira uma classificação heróica na Copa Libertadores, na mesma noite em que o Flamengo tropeçou no fraco Horizonte-CE pela Copa do Brasil. Era inegável o favoritismo tricolor, e ele foi se confirmando ao longo do primeiro tempo, onde o Mengão foi dominado pelo adversário e saiu perdendo por 1 a 0. Mas no segundo tempo a velha raça rubro-negra se fez presente, e assim o Flamengo foi crescendo até chegar ao empate, com um gol do ex-tricolor Thiago Neves. Mais uma vez a decisão foi para os pênaltis, e mais uma vez Felipe pegou dois. Vitória por 5 a 4 e vaga na decisão.

Após alguns anos sem chegar sequer em finais de turno, enfim o Vasco voltou a decidir a Taça Rio contra o Flamengo, após superar um bravo Olaria na outra semifinal, pelo placar mínimo. Era a chance do Mengão confirmar um título invicto sobre o velho freguês que andava adormecido e enfim acordou. O tempo inteiro o respeito imperou. Nenhum dos dois times quis se arriscar muito e dar a chance ao rival abrir o placar. Mas ainda assim o Flamengo teve uma grande chance de sair na frente no primeiro tempo, em chute de Bottinelli com grande defesa de Prass. O Vasco também teve uma boa chance, mas Diego Souza cabeceou a bola em cima de Felipe.  

  Na segunda etapa o panorama não se alterou: poucas oportunidades de gols para ambos os times. Ronaldinho teve outra chance de decidir um jogo complicado numa cobrança de falta, mas a boa batida esbarrou no goleiro vascaíno. No final do jogo Bernardo, pelo Vasco, e Thiago Neves, pelo Fla, ainda tiveram boas chances, mas o placar nos 90 minutos ficou mesmo num fraco 0 a 0. Pela terceira vez no ano os pênatis decidiriam a vida do Flamengo, e como nas anteriores a vitória foi nossa, após Bernardo, Fellipe Bastos e Elton chutarem para fora a chance vascaína de acabar com a sina dos vices: 3 a 1 para o Mengão e o Penta-Invicto Estadual garantido!

 

Voltar | Topo | Home
Site criado por Daniel Marques. Todos os direitos reservados ©.   
www.000webhost.com